Salvem suas almas!

São Pio X recomendou o estudo do catecismo para a salvação das almas, inclusive a sua! Leia, estude, revise, grave a Sã Doutrina em seu coração!

Pesquisar este blog

sábado, 19 de agosto de 2017

Segunda Parte do Catecismo: DA ORAÇÃO DOMINICAL (parte 06)


CAPÍTULO II
DA ORAÇÃO DOMINICAL

§ 2º. DA PRIMEIRA PETIÇÃO DO PADRE-NOSSO
(parte 02)


290) Por que em primeiro lugar pedimos que seja santificado o nome de Deus?
Em primeiro lugar pedimos que seja santificado o nome de Deus, porque devemos prezar mais a glória de Deus do que todos os nossos bens e vantagens.


291) De que maneira podemos nós promover a glória de Deus?
Podemos promover a glória de Deus:
  • Com a oração,
  • Com o bom exemplo e
  • Dirigindo para Ele todos os nossos pensamentos afetos e ações.  




Excerto do Catecismo de São Pio X



Visite nossos blogs associados:

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Segunda Parte do Catecismo: DA ORAÇÃO DOMINICAL (parte 05)


CAPÍTULO II
DA ORAÇÃO DOMINICAL

§ 2º. DA PRIMEIRA PETIÇÃO DO PADRE-NOSSO

(parte 01)


288) Que pedimos a Deus na primeira petição: santificado seja o vosso nome?
Na primeira petição: santificado seja o vosso nome, pedimos que Deus seja conhecido, amado, honrado e servido por todos os homens, e por nós em particular.


289) Que temos em vista, ao pedir que Deus seja conhecido, amado e servido por todos os homens?
Temos em vista pedir que
  • os infiéis cheguem ao conhecimento do verdadeiro Deus,
  • os hereges reconheçam os seus erros,
  • os cismáticos voltem à unidade da Igreja,
  • os pecadores se corrijam e
  • os justos sejam perseverantes no bem.




Excerto do Catecismo de São Pio X



Visite nossos blogs associados:

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Segunda Parte do Catecismo: DA ORAÇÃO DOMINICAL (parte 04)


CAPÍTULO II
DA ORAÇÃO DOMINICAL

§ 1º DA ORAÇÃO DOMINICAL EM GERAL

(parte 04)



286) Por que chamamos a Deus Pai nosso, e não Pai meu?
Chamamos a Deus Pai nosso e não Pai meu, Porque todos somos seus filhos, e portanto devemos considerar-nos e amar-nos todos como irmãos, e orar uns pelos outros.



287) Estando Deus em toda a parte, por que é que Lhe dizemos: que estais no Céu?
Deus está em toda a parte; mas dizemos: Padre Nosso que estais no Céu, para elevar os nossos corações ao Céu, onde Deus se manifesta na glória aos seus filhos.   



Excerto do Catecismo de São Pio X



Visite nossos blogs associados:

sábado, 12 de agosto de 2017

Segunda Parte do Catecismo: DA ORAÇÃO DOMINICAL (parte 03)



CAPÍTULO II
DA ORAÇÃO DOMINICAL

§ 1º DA ORAÇÃO DOMINICAL EM GERAL
(parte 03)



284) Por que, invocando a Deus no princípio da oração dominical, O chamamos nosso Pai?
No princípio da oração dominical chamamos a Deus nosso Pai para despertar a nossa confiança na sua infinita bondade, visto sermos seus filhos.


285) Por que podemos nós dizer que somos filhos de Deus?
Somos filhos de Deus:
1º) Porque Ele nos criou à Sua imagem e nos conserva e governa com a Sua providência;
2º) Porque, por especial benevolência, Ele nos adotou no Batismo como irmãos de Jesus Cristo e coerdeiros, juntamente com Ele, da eterna glória.



Excerto do Catecismo de São Pio X


Visite nossos blogs associados:

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Segunda Parte do Catecismo: DA ORAÇÃO DOMINICAL (parte 02)

CAPÍTULO II

DA ORAÇÃO DOMINICAL


§ 1º DA ORAÇÃO DOMINICAL EM GERAL
(parte 02)


281) Por que se chama o Padre-Nosso oração dominical?
Chama-se o Padre-Nosso oração dominical, que quer dizer oração do Senhor, precisamente porque a ensinou Jesus Cristo por sua própria boca.


282) Quantas petições há no Padre-Nosso?
No Padre-Nosso há sete petições precedidas de um preâmbulo.


283) Rezai o Padre-Nosso.
Padre-Nosso, que estais no Céu:
1ª) Santificado seja o vosso nome.
2ª) Venha a nós o vosso reino.
3ª) Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no Céu.
4ª) O pão nosso de cada dia nos dai hoje.
5ª) Perdoai-nos as nossas dívidas assim como nós perdoamos aos nossos devedores.
6ª) E não nos deixeis, cair em tentação.
7ª) Mas livrai-nos do mal. Amém



Excerto do Catecismo de São Pio X




Visite nossos blogs associados:

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Segunda Parte do Catecismo: DA ORAÇÃO DOMINICAL (parte 01)


CAPÍTULO II

DA ORAÇÃO DOMINICAL


§ 1º DA ORAÇÃO DOMINICAL EM GERAL
(parte 01)



278) Qual é a oração vocal mais excelente?
A oração vocal mais excelente é aquela que o próprio Jesus Cristo nos ensinou, isto é, o Padre-Nosso.


279) Por que é o Padre-Nosso a oração mais excelente?
O Padre-Nosso é a oração mais excelente:
  •  porque foi o próprio Jesus Cristo que a compôs e no-la ensinou,
  •  porque contém claramente, em poucas palavras, tudo o que podemos esperar de Deus; e
  •  porque é a regra e o modelo de todas as outras orações.



280) É também o Padre-Nosso a oração mais eficaz? 
O Padre-Nosso é também a oração mais eficaz:
  •  porque é a mais agradável a Deus,
  • porque é feita com as mesmas palavras que nos ditou o seu Divino Filho.




Excerto do Catecismo de São Pio X



Visite nossos blogs associados:

sábado, 5 de agosto de 2017

Segunda Parte do Catecismo: DA ORAÇÃO EM GERAL (parte 09)



CAPÍTULO I

DA ORAÇÃO EM GERAL

(parte 09)


276) Quando devemos especialmente orar?
Devemos orar especialmente nos perigos, nas tentações e no momento da morte; além disso, devemos orar frequentemente, e é bom que o façamos pela manhã e à noite, e no princípio das ações importantes do dia.


277) Por quem devemos orar?
Devemos orar por todos; isto é:
  • por nós mesmos;
  •  pelos nossos parentes,
  • superiores,
  • benfeitores,
  • amigos e inimigos;
  • pela conversão dos pobres pecadores, daqueles que estão fora da verdadeira Igreja, e
  • pelas benditas almas do Purgatório.



Excerto do Catecismo de São Pio X





Visite nossos blogs associados:

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Segunda Parte do Catecismo: DA ORAÇÃO EM GERAL (parte 08)


CAPÍTULO I
DA ORAÇÃO EM GERAL
(parte 08)



273) Que quer dizer orar com resignação?
Quer dizer que nos devemos conformar com a vontade de Deus, que conhece melhor do que nós quanto nos é necessário para a nossa salvação eterna, ainda mesmo no caso em que as nossas orações não fossem atendidas.


274) Atende Deus sempre as orações bem feitas?
Sim, Deus atende sempre as orações bem feitas; mas da maneira que Ele sabe ser mais útil para a nossa salvação eterna, e não sempre segundo a nossa vontade.


275) Que efeitos produz em nós a oração?
A oração
  •  faz-nos reconhecer a nossa dependência, em todas as coisas, de Deus, supremo Senhor,
  • faz-nos progredir na virtude,
  • alcança-nos de Deus misericórdia;
  •  fortalece-nos contra as tentações,
  •  conforta-nos nas tribulações,
  • auxilia-nos nas nossas necessidades e
  • alcança-nos a graça da perseverança final.




Excerto do catecismo de São Pio X




Visite nossos blogs associados:

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Segunda Parte do Catecismo: DA ORAÇÃO EM GERAL (parte 07)



CAPÍTULO I

DA ORAÇÃO EM GERAL

(parte 07)



270) Que quer dizer orar com humildade?
Quer dizer: reconhecer sinceramente a nossa indignidade, incapacidade e miséria, acompanhando a oração com a compostura do corpo.


271) Que quer dizer orar com confiança?
Quer dizer que devemos ter firme esperança de sermos atendidos, se daí provier a glória de Deus e o nosso verdadeiro bem.


272) Que quer dizer orar com perseverança?
Quer dizer que não nos devemos cansar de orar, se Deus não nos atender imediatamente, senão que devemos continuar a orar ainda com mais fervor.


Excerto do catecismo de São Pio X





Visite nossos blogs associados:

sábado, 29 de julho de 2017

Segunda Parte do Catecismo: DA ORAÇÃO EM GERAL (parte 06)


CAPÍTULO I
DA ORAÇÃO EM GERAL
(parte 06)


267) Que quer dizer orar com recolhimento?
Quer dizer: pensar que estamos a falar com Deus; e por isso devemos orar com todo o respeito e a devoção possíveis, evitando, quanto for possível, as distrações, isto é, todo o pensamento estranho à oração. 


268) Diminuem as distrações o merecimento da oração?
Sim, quando nós mesmos as provocamos, ou não as repelimos com diligência.
Se, porém, fizermos quanto podemos para estarmos recolhidos em Deus, então as distrações não diminuem o merecimento da nossa oração, mas até o podem aumentar.


269) Que se requer para fazermos oração com recolhimento?
Devemos antes da oração, afastar todas as ocasiões de distração, e durante a oração devemos pensar que estamos na presença de Deus, que nos vê e nos ouve.




Excerto do catecismo de São Pio X



Visite nossos blogs associados:

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Segunda Parte do Catecismo: DA ORAÇÃO EM GERAL (parte 05)


CAPÍTULO I
DA ORAÇÃO EM GERAL
(parte 05)


264)  Se Deus sabe tudo aquilo de que necessitamos, por que devemos rezar?
Embora Deus saiba tudo aquilo de que necessitamos, quer todavia que nós Lho peçamos, para reconhecermos que é Ele que dá todos os bens, para Lhe testemunharmos a nossa humilde submissão, e para merecermos os seus favores.


265) Qual é a primeira e a melhor disposição para tornar eficazes as nossas orações?
A primeira e a melhor disposição, para tornar eficazes as nossas orações, é estar em estado de graça, ou, não o estando, ao menos desejar recuperar esse estado.


266) Que mais disposições se requerem para bem orar?
Para bem orar requerem-se especialmente:
  •  o recolhimento,
  •   a humildade,
  •   a confiança,
  •   a perseverança e
  •  a resignação.



Excerto do catecismo de São Pio X




Visite nossos blogs associados:

terça-feira, 25 de julho de 2017

Segunda Parte do Catecismo: DA ORAÇÃO EM GERAL (parte 04)



CAPÍTULO I

DA ORAÇÃO EM GERAL

(parte 04)



261) Se a oração tem tanta eficácia, como é que tantas vezes não são atendidas as nossas orações?
Muitas vezes as nossas orações não são atendidas, ou porque pedimos coisas que não convêm à nossa eterna salvação, ou porque não pedimos como deveríamos.


262) Quais são as coisas que principalmente devemos pedir a Deus?
Devemos principalmente pedir a Deus a sua glória, a nossa salvação e os meios para consegui-la. 


263) Não é também lícito pedir bens temporais?
Sim, é também lícito pedir a Deus os bens temporais, sempre com a condição de que sejam conformes à sua santíssima vontade, e não sejam obstáculo à nossa eterna salvação.




Excerto do catecismo de São Pio X




Visite nossos blogs associados: